A fé vem pelo ouvir a palavra de Deus.

quarta-feira, 4 de março de 2015

A santa inquisição não será esquecida.

  Após a morte de mais de "68.000.000,00" de cristãos, a igreja católica agora quer se unir com os protestantes... Mas, impondo sua doutrina, ensinamentos e dogmas como o modelo a ser adotado pelos crentes. Curioso, é que quem mandou matar esses mais de "68.000.000,00" de cristãos, foi a própria igreja  católica através da santa inquisição... Primeiro ela mata, depois quer impor sua doutrina se fingindo de amiga? Enganando com suas idolatrias a santos e com batismo em nome de três títulos ao invés de reconhecer o "nome" do Senhor... "JESUS CRISTO".
  Essa mesma igreja católica, que hoje promove encontro ecumênicos entre lideres religiosos de diferentes religiões, é a mesma igreja que perseguiu os Cristão por mais de 400 anos, torturando até a morte agonizante milhões de cristãos em todo o mundo. Um detalhe interessante, é que Cristo nunca mandou matar ou perseguir alguém. Mas a igreja Católica  Romana, matou cruelmente mais de "68.000.000,00" de cristãos, a grande maioria. Após horas, e até mesmo dias de torturas monstruosas, são dezenas formas diferentes de torturas mortais que os católicos inventaram na santa inquisição, onde além de matar os cristãos, as bíblias de quem morria também era queimada; dentre essas incontáveis formas demôniacas de matar, mostraremos apenas algumas mais conhecidas.






Cavalete

  Essa era uma punição usada quase que sempre com mulheres, para satisfazer ao masoquismo dos inquisidores. A mulher era colocada nua sobre um cavalete em formato triangular bem afinado; este cavalete era muito bem polido, e passava-se óleo, manteiga ou qualquer outra coisa que o deixa-se bem escorregadio, dessa forma, quando a mulher era assentada sobre ele, ele agia como uma lamina que começava a cortar as partes intimas da vítima. Como se isso não bastasse, eram amarrados pesos nos pés da condenada, apara que a lamina se tornasse ainda mais eficaz. Causando assim, muitas das vezes, o completo esquartejamento do corpo em duas partes.


Empalamento masculino

   A forma de empalar um homem condenado por heresias, tais como: Pregar o batismo em nome do Senhor Jesus Cristo. Era a seguinte: O carrasco perfurava o corpo do acusado com uma espada, " só para abrir caminho, apara a estaca grossa na qual o homem seria espetado completamente, até a estaca atravessar seu corpo até na parte grossa o suficiente para mantê-lo suspenso no ar. Mesmo que a forma de empalamento masculina seja pelas costas até atravessar a barriga. nada impedia que os carrascos empalassem um homem da forma feminina, ou seja do ânus até atravessar a boca.


Decaptação

  Essa era a forma mais humana de se matar um Cristão, vendando os seus olhos, permitindo que fizesse a última oração, e depois cortando suas cabeças com golpes de espada. Curiosamente, dizem que a oração era permitida, porem não deveria ser feita de forma que se escutassem a voz de quem orasse, para que a oração não tivesse o risco de emocionar ou concientizar alguém que assistisse a cena.


Fogueira da santa inquisição.

  Devido a facilidade de se fazer uma grande fogueira, e ao fato de que em uma mesma fogueira poderia-se queimar muitas pessoas de uma só vez. Essa foi a forma de matar mais usada pela igreja católica romana, no período conhecido como "caça as bruxas". O engraçado, se não fosse trágico, é que uma pessoa que fosse pega com uma bíblia em sua casa ou as mãos, era prontamente levada para a fogueira como um herege, e para garantir que esse mal de seguir a bíblia não se espalhasse, toda a família também era queimada ou no minimo torturada horrivelmente.



Esticamento romano

  Essa é uma outra forma de esticamento, nessa modalidade de tortura, a pessoa condenada era colocada sobre uma mesa de madeira, amarrada por pés e mãos à dois sistemas de carreteis com catracas diferentes que, a seu tempo, cada um era girado para enrolar a corda nos carreteis. O que fazia com que as cordas puxassem os braços da vitima em uma direção, e os pés em outra, e uma vez que esses carreteis eram girados para puxar, as catracas garantiam que eles não voltariam a afrouxar as cordas, mantendo a pessoa esticada por horas ou dias, em alguns casos, até que os membros saíssem do lugar, causando assim um deslocamento dos braços e pernas.



Esquartejamento com cavalos.

  Nesta forma brutal de punição, eram usados cavalos, nos quais era amarradas cordas como arreios. Estas cordas por sua vez, era também amarradas ao corpo da vitima, cada cavalo era amarrado em um membro diferente, sendo um cavalo para cada braço, e para cada perna.
  Era então, dado um sinal, e após isso, os algozes começavam a chicotear os cavalos, para que cada um cavalgasse em uma direção diferente, sempre no sentido de puxar o membro ao qual o cavaloo estava atado, até arrancá-lo do corpo da vitima.


Esticamento

  Usado tanto pra castigo, quanto para tortura e morte  de Cristãos, essa era uma das mais simples formas de torturas. Uma pessoa era amarrada pelos punhos, com as mãos pra traz na linha dos quadris. Depois, a corda era puxada até que o corpo da vítima ficasse suspenso no ar à uma altura mediana. Logo após, eram amarradas pedras nos tornozelos, de forma que nada se apoiasse no solo, ficando assim a vítima presa e suspensa com os braços para trás, tendo seus pés amarrados por grandes pedras.



Balaço infernal

  Aqui o segredo era prolongar ao máximo possível a morte do condenado, que após amarado, era suspenso no ar por uma barra gangorrante, afixada em um tronco fincado no chão. Na outra ponta da barra, estava o carrasco que segurava uma corda com polias, o que possibilitava ao carrasco erguer e baixar o corpo da vítimas nas chamas, deixando a pessoa queimara até quase a morte, para depois suspende-lo para fora das chamas por alguns minutos, para que agonize e não morra de imediato. Logo após esses momentos de agonia, o carrasco tornava a coloca-lo dentro das chamas da fogueira. Repetindo esse processo de acordo com a vontade e caprichos do carrasco.


Inquisidores Católicos queimando Bíblias.

  Curioso que hoje a igreja católica Romana pregue a bíblia que ela mesma chamava de livro das bruxas e o condenou por séculos. Inclusive queimando dezenas de milhões de bíblias por todo o mundo, e condenando, pessoas ou famílias que possuíssem uma bíblia em suas casas, muitas vezes a punição era a morte.


O rolo

  Aqui, o castigado nem sempre era punido até a morte. Mesmo que ficasse com deformações pro resto da vida. O rolo consistia normalmente de uma roda de carroça, acoplada a um mecanismo com manivela, que fazia com que o corpo da pessoa, uma vez amarado à ela, ficasse girando em cima das chamas de uma fogueira, até que aceitasse se tornar um católico, ou até que revelasse segredos dos Cristãos, Tais como: onde se reuniam, quanto e quem eram eles.



Chá de óleo fervendo.

O mais simples, no entanto não menos agonizante método de martirizar uma pessoa. Imobilizá-la, introduzir um funil na boca da pessoas... e depois despejar óleo fervendo através do funil.



As torres de Roma.


Esse meio também era apenas pra castigo, afim de passar vergonha na pessoa que recebia essa condenação. Geralmente era um pai de família que recebia essa pena, por algum de seus filhos pequenos serem pegos falando sobre Jesus ou falando sobre algo da bíblia. A homem era amarrado, pelos pés, punhos e cintura à cordas, depois era erguido, e então baixado com o ânus em cima de uma torre perfurante. onde podia ficar ali por horas exposto em praça pública.


Tortura da corda.

  Esse era apenas um castigo simples, consistia apenas em deslocar os braços da vítima, torce-los pra que a torção ficasse ainda mais dolorida, virá-los para trás, e amarrar uma corda nos pulsos para garantir que a vitima permaneça assim por muito tempo. Geralmente éra uma pena aplicada a pessoas que eram flagradas com bíblias em suas casa, mais negavam ser Cristãs logo de imediato pra não serem mortas, por falta de provas e conforme fosse a situação social da vitima, ela recebia essa "pequena" punição.


Os sinos da inquisição Romana... Conhecido no Brasil como Pau-de-Arara.

  Esta era uma forma de castigo à pessoas que de alguma forma deveriam ser castigadas até confessarem, ou aceitarem o que a igreja católica desejava impor. Raramente se usava esse método para levar alguém a morte. Essa prática de tortura consistia em amarrar uma pessoa de cabeça para baixo, com seus pés e mão unidos e presos à uma barra de ferro ou de madeira, onde a vítima permanecia dependurada com seu abdomen e estomago completamente contraídos, o que dificultava e muito a respiração, além de comprometer seriamente a respiração. Normalmente as vitimas eram expostas a essa tortura até mudarem de ideia ou negarem a Cristo. quando uma dessas duas coisas era obtida, então a pessoa era solta, alimentada e vestida, e apresentada a sociedade como se nada houvesse acontecido.


Triturador Católico.

  Nesta forma de tortura até a morte, a vítima era colocada amarrada em uma base de madeira ou de pedra, então o carrasco, segurando uma marreta pesada e de instrumento largo e chato (para esmagar os ossos sem amputa-lo.) começava a martelar as pernas da pessoa pelos pés, sendo esses os primeiros a serem totalmente esmagados, após horas de dor agonizante, o carrasco tornava a dar mais uma potente marretada dessa vez nos tornozelos até esmiuça-los. Até que depois de mais alguns horas de tormento, o carrasco voltava a martelar seu instrumento dessa vez nas pernas, depois joelhos, coxas e até na bacia, tudo por sua vez e demoradamente até a vítima não resistir e morrer agonizante, alguns como não morriam de imediato, eram marretadas até na cintura, depois o carrasco voltava a marretar nos lugares já quebrados.



Empalamento Feminino.

  As mulheres Cristãs eram sadicamente empaladas, os carrascos da inquisição católica assentavam-na nua sobre uma estaca pontiaguda bem alta, de forma que a ponta da estaca entrasse pelo ânus, então eram amarados pesos nos pés e mãos, ou em outros caso, os próprios carrascos, seguravam no corpo espetado e faziam força, para a perfuração ser controlada de acordo com a maldade deles de verem as mulheres sofrerem, até que a estaca começasse a atravessar lentamente o corpo da vítima pelo ânus e saísse pela boca.


Mateus 23 (veja se isso não é profecia)

1 Então, Jesus disse à multidão e aos seus discípulos:
2 "Os mestres da lei e os fariseus se assentam na cadeira de Moisés.
3 Obedeçam-lhes e façam tudo o que eles lhes dizem. Mas não façam o que eles fazem, pois não praticam o que pregam.
4 Eles atam fardos pesados e os colocam sobre os ombros dos homens, mas eles mesmos não estão dispostos a levantar um só dedo para movê-los.
5 "Tudo o que fazem é para serem vistos pelos homens. Eles fazem seus filactérios bem largos e as franjas de suas vestes bem longas;
6 gostam do lugar de honra nos banquetes e dos assentos mais importantes nas sinagogas,
7 de serem saudados nas praças e de serem chamados ‘rabis’.
8 "Mas vocês não devem ser chamados ‘rabis’; um só é o mestre de vocês, e todos vocês são irmãos.
9 A ninguém na terra chamem ‘pai’, porque vocês só têm um Pai, aquele que está nos céus.
10 Tampouco vocês devem ser chamados ‘chefes’, porquanto vocês têm um só Chefe, o Cristo.
11 O maior entre vocês deverá ser servo.
12 Pois todo aquele que a si mesmo se exaltar será humilhado, e todo aquele que a si mesmo se humilhar será exaltado.
13 "Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês fecham o Reino dos céus diante dos homens! Vocês mesmos não entram, nem deixam entrar aqueles que gostariam de fazê-lo.
14 "Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês devoram as casas das viúvas e, para disfarçar, fazem longas orações. Por isso serão castigados mais severamente.
15 "Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas, porque percorrem terra e mar para fazer um convertido e, quando conseguem, vocês o tornam duas vezes mais filho do inferno do que vocês.
16 "Ai de vocês, guias cegos!, pois dizem: ‘Se alguém jurar pelo santuário, isto nada significa; mas se alguém jurar pelo ouro do santuário, está obrigado por seu juramento’.
17 Cegos insensatos! Que é mais importante: o ouro ou o santuário que santifica o ouro?
18 Vocês também dizem: ‘Se alguém jurar pelo altar, isto nada significa; mas se alguém jurar pela oferta que está sobre ele, está obrigado por seu juramento’.
19 Cegos! Que é mais importante: a oferta, ou o altar que santifica a oferta?
20 Portanto, aquele que jurar pelo altar, jura por ele e por tudo o que está sobre ele.
21 E o que jurar pelo santuário, jura por ele e por aquele que nele habita.
22 E aquele que jurar pelo céu, jura pelo trono de Deus e por aquele que nele se assenta.
23 "Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês dão o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, mas têm negligenciado os preceitos mais importantes da lei: a justiça, a misericórdia e a fidelidade. Vocês devem praticar estas coisas, sem omitir aquelas.
24 Guias cegos! Vocês coam um mosquito e engolem um camelo.
25 "Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês limpam o exterior do copo e do prato, mas por dentro eles estão cheios de ganância e cobiça.
26 Fariseu cego! Limpe primeiro o interior do copo e do prato, para que o exterior também fique limpo.
27 "Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês são como sepulcros caiados: bonitos por fora, mas por dentro estão cheios de ossos e de todo tipo de imundície.
28 Assim são vocês: por fora parecem justos ao povo, mas por dentro estão cheios de hipocrisia e maldade.
29 "Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês edificam os túmulos dos profetas e adornam os monumentos dos justos.
30 E dizem: ‘Se tivéssemos vivido no tempo dos nossos antepassados, não teríamos tomado parte com eles no derramamento do sangue dos profetas’.
31 Assim, vocês testemunham contra si mesmos que são descendentes dos que assassinaram os profetas.
32 Acabem, pois, de encher a medida do pecado dos seus antepassados!
33 "Serpentes! Raça de víboras! Como vocês escaparão da condenação ao inferno?
34 Por isso, eu lhes estou enviando profetas, sábios e mestres. A uns vocês matarão e crucificarão; a outros açoitarão nas sinagogas de vocês e perseguirão de cidade em cidade.
35 E, assim, sobre vocês recairá todo o sangue justo derramado na terra, desde o sangue do justo Abel, até o sangue de Zacarias, filho de Baraquias, a quem vocês assassinaram entre o santuário e o altar.
36 Eu lhes asseguro que tudo isso sobrevirá a esta geração.
37 "Jerusalém, Jerusalém, você, que mata os profetas e apedreja os que lhe são enviados! Quantas vezes eu quis reunir os seus filhos, como a galinha reúne os seus pintinhos debaixo das suas asas, mas vocês não quiseram.
38 Eis que a casa de vocês ficará deserta.
39 Pois eu lhes digo que vocês não me verão desde agora, até que digam: ‘Bendito é o que vem em nome do Senhor’".